quinta-feira, 07 de julho de 2022

Síndrome de Burnout que trata do esgotamento profissional no trabalho é tratado em webinário

Fonte: Poder Judiciário – Tribunal da Justiça da Paraíba

No fim da manhã desta terça-feira (21/06), magistrados e servidores do Poder Judiciário estadual participaram, de forma remota, do Webinário ‘Síndrome de Burnout: sinais, tratamento e prevenção’. A síndrome também conhecida como esgotamento profissional, ou seja, é uma doença mental que surge após o indivíduo passar por situações de trabalho desgastantes, que requer muita responsabilidade ou até mesmo excesso de competitividade.

A temática foi ministrada, na ocasião, pelos médicos José de Assis Bezerra e Joneuso Tércio Cavalcanti da Costa, e foi mediada pela psicóloga da Gerência de Qualidade de Vida do TJ, Maria da Penha Pontes. O evento contou com quase 200 inscrições e foi transmitido pela plataforma Zoom e também pelo canal da Esma no YouTube. Quem não pode assistir ao webinário, o vídeo está disponível aos interessados no link https://www.youtube.com/watch?v=v4LUsTz-Z-k.

A coordenadora pedagógica da Esma, Daiane Lins da Silva Firino, abriu o webinário destacando que, o evento é mais um ciclo de conversa sobre saúde mental. “Essa síndrome está muito vinculada ao fazer laboral. Então, para nós do Tribunal de Justiça, é muito propício escutarmos um pouco sobre esse tema”, disse Daiane.

Em seguida, a mediadora Penha Pontes parabenizou à Esma e o TJPB, em oferecer aos magistrados e servidores mais uma temática sobre saúde mental, seja no campo pessoal e profissional. “A Covid e o isolamento afetaram consideravelmente à saúde mental dos juízes, servidores e de toda população”, frisou Penha.

De acordo com o médico psiquiatra José de Assis, a Síndrome de Burnout é uma doença mental que pode surgir a partir de reiteradas exposições a situações desgastantes de trabalho. “A principal causa dessa doença é o excesso de trabalho, seja nas instituições públicas e privadas”, afirmou o palestrante.

Ele citou, na oportunidade, quais profissões mais afetadas por essa síndrome de esgotamento: bombeiros, policiais, professores, bancários, médicos e enfermeiros. Ainda segundo José de Assis, os sintomas físicos mais diagnosticados são: cansaço e esgotamento, imunidade diminuída, doenças adquiridas com bastante facilidade, dores de cabeça frequente e musculares, alterações do sono e do apetite, além de sintomas emocionais e corpomentais.

Para o médico José de Assis, a atividade física é um fator determinante nesse processo de combate à doença pelo paciente. “A melhor maneira de prevenir a Síndrome de Burnout é evitar situações desgastantes no trabalho”, assegurou o palestrante.

Dando continuidade ao tema, o médico Jenuso da Costa destacou, inicialmente, que à Esma tem feito um grande trabalho ao levar informação para as pessoas que necessitam. “É um prazer enorme de participar desse evento, principalmente de tratar de um assunto polêmico ainda hoje que é a Síndrome de Burnout”, disse Jenuso.

Ele ressaltou, ainda, que a síndrome foi somente designada a partir de 1974, mas que tem trazido muito problemas para os trabalhadores, tendo em vista que na Síndrome de Burnout existe várias sintomatologias. “É uma síndrome e não uma doença, então temos sintomatologias que afetam o trabalhador por causa de sua extenuação crônica”, afirmou o médico Januso.

Todavia, o palestrante disse que é preciso entender que a Síndrome de Burnout tem fases, ou seja, é importante que cada indivíduo identifique nas suas atividades laborais essas fases. Por fim, ele enfatizou a importância do esporte, de dormir cedo, de receber elogios de seus superiores e o convívio social, como meios adequados para esse processo de tratamento.

“A Síndrome de Burnout não é simplesmente um estado temporário e sim, um estado crônico de agressão psicológica”, destacou Januso, enfatizando ainda que, a Síndrome de Burnout é de difícil diagnóstico.

Logo em seguida, os palestrantes responderam perguntas enviadas pelos inscritos de diversas comarcas do estado.

Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui