SST no home office: 10 recomendações para manter sua saúde física e mental

Por Hudson de Araújo Couto

O home office era uma tendência e um modelo de trabalho em algumas atividades desde a virada do século. Com a pandemia, ele veio como única alternativa e, para muitas situações, veio para ficar, suscitando o tema de regras de ergonomia para essa modalidade de trabalho.

Antes de destacar as regras específicas de ajuste do posto de trabalho, é importante frisar que a boa saúde nessa situação não está ligada somente à questão do posto de trabalho, mas também ao ajuste mental à nova realidade, que sistematizamos em 10 recomendações.

1 – Sublimar é preciso!

O motivo de muita gente ter sido forçada a trabalhar em casa foi a pandemia, que trouxe consigo uma série de prejuízos e sonhos adiados, de toda ordem e ainda inimagináveis. É pura ilusão achar que a volta ao normal será breve, e devemos considerar que a situação irá se complicar por um tempo a perder de vista.

Sublimar consiste em avaliar uma situação e, percebendo-se sem possibilidade de atuar, adotar a postura de não sofrer com aquilo que não se pode modificar. E mudar a atitude mental, não pensando naquilo que não se tem controle.

2 – A hora do just-in-case

Just-in-Time foi a grande sensação das técnicas gerenciais da virada do milênio. Consistia em fazer com que o recurso ou componente estivesse na linha de montagem somente no momento em que seria utilizado, não fazendo estoques. Esse modelo de gestão de materiais chegou a ser utilizado até mesmo em hospitais. E que decepção, na hora em que mais as instituições de saúde necessitaram de materiais, é que viram a canoa furada em que haviam entrado. Nas indústrias, just-in-time muito justo, nunca mais!

Just-in-case é uma expressão que significa “por precaução”. Na vida das pessoas, a ruptura econômica decorrente da pandemia, com grande repercussão sobre a renda, destacou a necessidade de cada pessoa, cada família, de qualquer nível, repensar e passar a adotar a postura de sempre ter alguma reserva financeira e de não gastar além dos seus limites.

3 – 8 partidos políticos

Na pré-pandemia, a correria das pessoas e a busca por crescimento profissional costumava gerar importantes prejuízos em algumas áreas do conjunto da pessoa. Com a pandemia, e com o home office, tornou-se cada vez mais evidente a necessidade de um investimento global nos oito componentes da totalidade de nosso ser, que, em metáfora, defino como 8 Partidos Políticos.

É importante investir no PP (Partido Profissional), mas também é fundamental manter o investimento no PFA (Partido Familiar). É ingênuo desconhecer a importância do PTP (Partido do Ter e do Poder), mas ele só faz sentido se o indivíduo investir também no PI (Partido da Individualidade), cuidando da saúde física e, principalmente, do seu senso de coerência e autenticidade; assim como é importante investir no PS (Partido da Vida Social), no PC (Partido Cultural), PCR (Partido da Criatividade) e PEE (Partido da Ética e da Espiritualidade). Deduza as aplicações dessa metáfora em sua vida.

4 – A força do hábito

É sabido que os hábitos mudam nossas vidas, inclusive nossos circuitos neuronais. Em tempos de home office, é importante manter os hábitos, como ter horários definidos para deitar, para levantar, horário da ginástica, horário de se fechar no quarto que você está fazendo de escritório, e também manter o hábito de lazer naquilo que é possível e de estudar e ler.

5 – Small is beautiful

Essa recomendação está alinhada com a do just-in-case, mas vai além. Desde meados do século passado que se sabe ser a simplicidade um dos grandes segredos para a saúde mental. Assim, essa recomendação poderia ser traduzida em: mantenha a vida simples. Na prática, é procurar perceber prazer e alegria dentro daquilo que está ao alcance dos seus cinco sentidos: visão, audição, tato, olfato e paladar. Claro, exemplos não faltam para conseguir isso em sua casa, se seu núcleo familiar for bem construído.

6 – Ieri, oggi, domani e dopodomani

Já nos referimos à necessidade de sublimar. Mas é muito importante que as pessoas tenham objetivos de longo prazo, mais realistas: como irá ajustar sua carreira em relação ao “novo normal” do futuro, como serão seus objetivos, seus sonhos pessoais e sua visão de futuro.

7 – Sentar-se mal é cruel

Feito o ajustamento do psiquismo, é hora de ajustar a postura do corpo para trabalhar confortavelmente. Um dos itens mais importantes é uma cadeira de boa qualidade.

Algumas empresas podem fornecer boas cadeiras para seus colaboradores em home office. Mas, se você trabalha por conta própria, ou sua empresa não fez menção de lhe proporcionar esse item, não fique esperando e faça logo esse investimento: elas não são tão caras. Os pontos fundamentais são: regulagem fácil da altura, almofada de boa maciez, apoio do dorso adequado, em ângulo tronco-coxa de 100 graus, giratória; e um bom apoio para os pés.

Lembre-se ainda de conectar o notebook a um monitor de vídeo, a um teclado e a um mouse.

8 – Aprenda com os padres

Um dos principais acessórios do posto de trabalho informatizado é o porta-textos. Ele permite uma boa visualização e possibilita manter o tronco na vertical, assim como evita desvios do pescoço.

9 – Como um cavalo de corrida

Um bom posto de trabalho informatizado possibilita velocidade. Para isso, alguns itens fundamentais são: monitor de vídeo bem posicionado e de bom tamanho, teclado macio e com teclas inclinadas, mouse próximo do corpo (o mais próximo possível), simetria entre tronco, teclado e monitor de vídeo, aplicativo funcionando bem e bom suporte de TI. Nessas condições, o trabalho sai rápido e sua produtividade será alta.

Para ter bom desempenho também é fundamental estabelecer na sua residência limites de acesso ao cômodo que você está usando como escritório, esclarecendo cônjuge e filhos quanto à necessidade de método. Provavelmente o maior desafio nessa administração de tempo será das mulheres mães, ainda mais aquelas que têm filhos em idade escolar e que estão tendo que conciliar as atividades do trabalho com outras da casa e, ainda, acompanhar trabalhos escolares dos filhos fora da escola e dentro de casa. Grande desafio, que boas técnicas de administração do tempo e inteligência devem resolver.

Também compatível com a força do hábito e com a democracia dos 8 Partidos Políticos, aplique-se no trabalho, porém cumpra os tempos de dedicação aos seus familiares.

10 – Sinais vermelhos

Carga excessiva de responsabilidade tem um sinal bem evidente: dor nos músculos do pescoço e ombros.

Ritmo muito forçado de trabalho e mau posicionamento na sua estação de trabalho também gera outro sinal de alerta: dores musculares, em punho ou no ombro.

Quando isso acontecer, é sinal de que está na hora de se levantar, fazer ginástica de distensionamento e, no caso de tensão excessiva, utilizar as técnicas tradicionais de redução de estresse, reduzindo temporariamente as exigências e melhorando sua estrutura para lidar com elas.


Hudson de Araújo Couto – Médico do Trabalho, doutor em Administração, coordenador do curso de pós-graduação em Medicina do Trabalho, consultor de empresas e colunista da Revista Proteção.
[email protected]

Artigos relacionados

Coluna Memória: agravos à saúde mental – Ed. 344

Em evidência devido à pandemia, os transtornos mentais no trabalho têm uma história antiga Nestes tempos de pandemia, quando...

Notícias dos Tribunais – Ed. 344

Dano moral reflexo A 1ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o direito da mãe de um...

Entrevista: Desafios do “novo normal” – Ed. 344

Por Daniela Bossle/Editora e Jornalista da Revista Proteção Pandemia acelerou o trabalho home office cuja carga física e mental...

Artigo – Segurança com eletricidade: atualização importante – Ed. 344

A revisão da NR 10 é uma boa oportunidade para correções e melhorias A atual Norma Regulamentadora 10, publicada...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui