quinta-feira, 07 de julho de 2022

Reportagem Especial – Calçados de Segurança: Pés protegidos – Ed. 366

Por Marla Cardoso/Jornalista da Revista Proteção

Fabricantes seguem apostando na tecnologia para garantir calçados profissionais cada vez mais seguros

Conforme dados do Anuário Estatístico da Previdência Social de 2020, do total de 445.814 acidentes de trabalho registrados naquele ano, os pés (exceto artelhos) apareceram em segundo lugar entre as partes do corpo com maior incidência de acidentes típicos, com 26.895 registros. Em primeiro lugar, estavam os dedos, com 93.751 ocorrências. Os típicos com artelhos somaram 1.915 acidentes. Os números demonstram o quanto os pés estão expostos a riscos. E essa não foi uma exclusividade de 2020. Em anos anteriores do levantamento, essa região também seguiu entre as três áreas do corpo mais atingidas em registros típicos.

Na rotina de trabalho, o contato destes membros inferiores com agentes mecânicos, umidade, agentes químicos, térmicos, de energia elétrica, cortantes e perfurantes, além da possibilidade do impacto de quedas de objetos, pode ser minimizado com a utilização dos calçados profissionais adequados. Previstos no item G do Anexo I da NR 6 (Equipamento de Proteção Individual), estes EPIs devem passar por um rigoroso processo de fabricação, respeitando normas técnicas que irão garantir que o produto exerça sua função adequadamente.

Confira a reportagem completa na edição de junho da Revista Proteção.


Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui