MVP na Segurança do Trabalho

– Imagine que nós identificamos um problema na área de Segurança do Trabalho, fizemos as avaliações necessárias e estabelecemos os controles que consideramos mais adequados, porém, depois de todo este esforço com gasto financeiro e de tempo, acabamos percebendo que não é uma solução viável para a nossa empresa. Por exemplo, implantamos uma ferramenta que possibilita mais conforto para o trabalhador, mas diminui a qualidade do produto da empresa.

– Ok, professor, mas aí não tem jeito, têm algumas ações que podem dar errado mesmo.

– Concordo que dependendo do problema será difícil pensar em todas as variáveis e como consequência o nosso plano pode dar errado, mas não concordo que não tenha jeito.

– Mas o que o senhor sugere, então?

No livro Startup Enxuta, do autor Eric Ries (que não fala nada diretamente sobre Segurança do Trabalho, e é por isso que eu digo que é importante fazer leituras sobre temas diversos, para ter ideias diferentes), ele apresenta o conceito do MVP que em português significa Produto Mínimo Viável. De forma resumida a ideia é implantar algum produto com o mínimo de recursos possível e para o menor número de pessoas, e desta forma temos como rodar a ideia e verificar a viabilidade ou não de determinada ação. Por exemplo, imagine que você quer implantar um novo procedimento em uma determinada linha com 100 trabalhadores, você tem a ideia, desenvolve o procedimento, treina os 100 trabalhadores, depois implanta o procedimento e verifica que não está dando certo. Agora já era, ou seja, a nossa hipótese deu errado.

– Ok, e como seria com o tal do MVP?

– Se a gente pegasse apenas uns 5 trabalhadores, explicasse a ideia geral para eles e conforme fosse desenvolvendo o procedimento já fosse alterando de acordo com as ideias dos trabalhadores, percebe que a adesão seria maior porque  ajudaram a desenvolver e caso não desse certo saberíamos mais rápido e investiríamos menos grana.

– Entendi, professor!

– A principal vantagem é que se por acaso falharmos, é mais fácil ajustar a nossa ideia. No livro ele chama de pivotar, ou seja, mudar de direção. Um dos principais inimigos do MVP é o perfeccionismo, pois se a pessoa fica “lambendo” a ideia acaba demorando muito para implantar.

– Só recomendo um cuidado adicional, pois como estamos falando de Segurança do Trabalho, uma análise de riscos bem feita é essencial para poder desenvolver o projeto para não termos algum sinistro, mesmo que seja com um número reduzido de trabalhadores.


O blog Segurito na Proteção trata de questões relacionadas à SST. É editado pelo professor Mário Sobral Jr, que é Mestre, engenheiro de Segurança do Trabalho, especialização em Higiene Ocupacional e Ergonomia e Editor do Jornal Segurito.
[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here