Gestão dos Equipamentos de Medição – Parte 3

– Professor, já conversamos sobre antes do equipamento chegar na empresa, mas tem alguma orientação para depois que eu receber?

– Meu filho, prefiro falar sobre o que fazer durante o recebimento.

– Então não é só assinar o recebimento e começar as medições?

– Não! Ao receber o equipamento precisamos ter atenção em alguns pontos:

– Verificar a especificação: no ato do recebimento é essencial verificar se a especificação solicitada foi realmente a recebida e de imediato informar ao fornecedor no caso de algum erro. Além da especificação, precisamos avaliar se o manual está junto com o equipamento, assim como o certificado de calibração.

– O segundo passo seria realizar testes e verificar se não houve danos no transporte.

– Estas ações precisam ser realizadas assim que o equipamento seja recebido para que não tenhamos problemas posteriores com o fornecedor.

– Entendi, professor! E depois?

– Em algumas empresas teremos diversos equipamento e para uma melhor organização é importante fazer o inventário. Recomendo que isto seja feito mesmo para pequenas empresas com poucos equipamentos.

– O objetivo é fazer o registro do equipamento e ter um histórico de todas as suas informações. Recomendamos que sejam registradas as seguintes informações:

  • Código de identificação estabelecido por sua empresa
  • Data de aquisição
  • Tipo de equipamento
  • Fabricante
  • Fornecedor
  • Modelo
  • Especificação
  • Valor

– A especificação e o valor são importantes para que você tenha uma referência para quando você precisar realizar nova aquisição.

  • Número de série
  • Data da próxima calibração
  • Dados de manutenção (substituição de peças, tipo de avaria etc)
  • Diário de uso (entradas, saídas e transporte)

– A frequência de uso e as manutenções realizadas irão ajudá-lo a conhecer melhor o equipamento em relação à sua durabilidade. Mesmo que tenha uma boa especificação, mas caso tenha uma frequência elevada de manutenção, em uma próxima aquisição devemos pensar em um novo modelo.

  • Foto
  • Etiqueta de identificação.

– Depois de registrado iremos finalmente utilizar o equipamento em campo, porém dependendo da experiência do usuário isto pode vir a ser um problema. Para facilitar pode ser interessante elaborar um pequeno manual com a descrição resumida do equipamento e instruções sobre os principais itens para uso, como tempo de estabilização, verificações antes do uso etc.

– Uma forma prática de guardar estas informações é elaborar um vídeo e, principalmente para aqueles profissionais que têm pouco contato com o equipamento, bastará rever este material para lembrar o seu uso. Outra opção é buscar tutoriais na internet.

– Professor, tô preocupado com o senhor.

– Por quê, meu filho?

– Acho que o senhor passou do limite de linhas e a Sra. Revista Proteção vai acabar lhe dando um puxão de orelha, melhor continuarmos na próxima semana. Faz cara de choro que talvez ela tenha pena.


O blog Segurito na Proteção trata de questões relacionadas à SST. É editado pelo professor Mário Sobral Jr, que é Mestre, engenheiro de Segurança do Trabalho, especialização em Higiene Ocupacional e Ergonomia e Editor do Jornal Segurito.
[email protected]

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui