Banner 01 - Livro de Lucca
Dicionário SST - banner 01
Banner Bracol 1 Setembro
Banner 01 - Marluvas - Dezembro
Banner 01 - Anuário 2019
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P NN Eventos - Banner 5


Você está em: Noticias / Geral
Geral
Trabalho em altura para quem tem mais de 100 quilos
Data: 25/01/2010 / Fonte: Revista Proteção

Foto: Daniel Souza/Fator Vertical

Um trabalhador com mais de 100 ­quilos pode exercer o traba­lho em altura? O cin­turão de segurança e outros acessórios suportam o peso desta pessoa? O que fazer para avaliar se a atividade pode ser rea­lizada de maneira segura? Muitas destas dúvidas têm sido levantadas no setor de saúde e segurança. Diante delas, quais seriam as opções corretas?


A NBR 11.370 aborda a fabricação de cinturão de segurança e talabartes e espe­cifica um ensaio dinâmico com um manequim de 100 quilos, mas não se trata de u­ma norma sobre o uso do equipamento.


"As pessoas veem a norma e, por se usar este manequim, têm a ideia de que ninguém com mais de 100 quilos de massa po­de trabalhar em altura. É bom esclarecer que essa NBR não é uma norma de pro­cedimentos de trabalho. E sim u­ma norma técnica que fundamenta a confecção de cinturões e tala­bartes de se­gurança com ensaios que servem como pa­râme­tros para a sua aprovação. Em nenhum momento a norma men­ciona que não se deva usar ou que se deva u­­sar", explica o coordenador da Comissão de Estudos de Cinturões de Segurança do CB 32 da ABNT e do Grupo Se­torial de Trabalho em Altura da Ani­ma­seg, João Fábio Gioria.


Responsabilidade


A avaliação para que uma pessoa com mais de 100 quilos exerça o trabalho em al­tura depende de outros fatores. "Se essa pessoa possui destreza suficiente, mobilidade, ou seja, é uma pessoa ágil, não vejo problema para que ela trabalhe em altura. Claro que uma avaliação das condições do local de trabalho deverá ser realizada. Sobre os EPIs suportarem uma massa maior que 100 qui­los, isso dependerá mui­to da altura onde esse trabalho for executado. A respeito dos cuidados, devem-se utilizar os equipamentos adequados, po­rém, se o trabalhador for executar esses trabalhos deverá haver um responsável para dar essa autorização", acredita o Chefe do Serviço de Equipamento de Segurança da Funda­cen­tro, Vladimir Vieira.  "O EPI deve aguentar pelo menos 1.500 quilos de tração em suas fitas costuradas, mes­­mo sabendo que o ser humano suporta em média 1.200 quilos de impacto dis­tribuí­do pelo corpo", completa Marcel­lo Vazzo­ler, diretor da Vertical Pró.


Para a consultora técnica da Serelepe, Jussara Nery, cada fabricante deve garantir que seus equipamentos suportem uma carga maior que 100 quilos, utilizando matéria-prima de qualidade e produzindo dentro dos padrões de segurança. A­lém disso, a segurança do trabalhador en­volve todo o conjunto de e­quipamentos, o que abrange, por exemplo, pontos de an­coragem e estrutura para suportar o impacto da queda, a corda, os conectores.


"É fundamental ter treinamento das técnicas seguras de trabalho em altura e conhecimento sobre os riscos. A­lém disso, deve ha­ver um suporte de engenharia para avaliação dos pontos de ancoragem e estrutura na qual o trabalha­dor está a­poia­do. Não adianta um EPI seguro se os pontos de ancoragem não são a­valiados para suportar as cargas resultantes de um impacto de queda ou se a estrutura não está bem con­servada", avalia Jussara. Ela ainda ressalta a importância das técnicas e equipamentos pa­ra minimi­za­rem o impacto como é o caso dos absorve­do­­res de e­nergia.


Confira na íntegra na Edição 217 da Revista Proteção.

Comentários
Paulo Roberto S.Barbosa Denuncie este comentário
Excelente material irá mim ajudar bastante na mina atividade diária,
Att,
João França Denuncie este comentário
Muito bom este artigo. Parabéns!
Alício Silva Baldo Denuncie este comentário
Gostei muito da explicação!
Francisco Pereira dos Anjos Junior Denuncie este comentário
Gostei muito do texto, Transformador.
Antonio Rogério/ TST Denuncie este comentário
Bom dia!
Pessoal o que fazer quando o manual do cinto de segurança sinaliza " NÃO RECOMENDADO PARA TRABALHADORES COM PESO ACIMA DE 100KG" ?
Entendida que se algo ocorresse, o fabricante estaria coberto e a empresa não.
Adotava o critério de permitir apenas o uso em situações com fator de queda "0".

Eriete Pinheiro Barcelos Denuncie este comentário
Boa tarde !
Material muito bom.
Paulo Brown Denuncie este comentário
Artigos deste gênero são uma bomba.... independente de normas, a recomendação do fabricante é o que vale!

Caso um trabalhador com mais peso, independente da altura que esteja, caia é o cinto não suporte, NENHUM fabricante assumirá.

Quando as leis são não estabelecem o limite, as recomendações dos fabricantes de tornam leis.
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Mais de Geral
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
SOC Banner - 6 - Set/Out
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital