Black Week Proteção 2018
P Assinatura Proteção digital banner 1
Upgrade_em_SST_geral
Banner 01 - RL USP - Novembro
Banner 01 - LCS - Novembri
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P NN Eventos 2018 - Banner 5


Você está em: Noticias / Geral
Geral
TAC entre MPT e Serra Preta garante melhores condições de trabalho a garis
Data: 14/05/2018 / Fonte: MPT/Bahia

Serra Petra/BA - Termo de ajuste de conduta (TAC) assinado entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia e a Prefeitura de Serra Preta garante direitos de saúde e segurança no trabalho para garis.

O acordo prevê obrigações para o município, como o fornecimento de protetor solar, camisa de manga longa, calças, óculos, chapéus e capa de chuva. Caso não cumpra qualquer um dos itens do acordo, a Prefeitura pagará multa de R$ 30 mil, a serem revertidos para instituições apontadas pelo MPT ou para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O documento foi assinado pela procuradora do trabalho Annelise Leal na procuradoria do MPT em Feira de Santana, esta semana, prevê a proibição do deslocamento dos trabalhadores nas carrocerias dos caminhões que não estejam devidamente equipados, a instalação de barreiras laterais nos caminhões que impeçam que parte do corpo do trabalhador fique exposta a áreas de risco nas atividades de coleta de lixo e a regularização da situação de todos os trabalhadores, de modo que sejam evitados desvios de funções.

O TAC ainda obriga o município a garantir a higienização das fardas dos trabalhadores, sem que eles precisem levar para as suas casas para lavar, a estabelecer procedimentos de segurança quanto a atividades que envolvam carga de pesos, a capacitar os trabalhadores na atividade e a garantir vacinação de todos os colaboradores contra doenças como tétano e hepatites virais, entre outras obrigações.

O inquérito civil que resultou na assinatura do documento teve início em 2016, quando o trabalhador Humberto Bispo de Almeida morreu ao cair de uma caçamba de coleta de lixo. Agora com a assinatura do termo de ajuste de conduta, o município fica obrigado a cumprir uma série de regularizações, algumas imediatamente e outras com prazos que variam entre 60 e 120 dias.
Comentários
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Mais de Geral
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital