Banner 01 - Ansell
Banner 01 - Marluvas - Dezembro
Banner 1 Marluvas - Set/Dez
Fujiwara Banner 1 Outubro
Banner 1 - UniSafety - 3
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P NN Eventos - Banner 5


Você está em: Noticias / Geral
Geral
Acidentes na Braskem em AL poderiam ter sido evitados
Data: 25/08/2011 / Fonte: Agência Câmara de Notícias

Brasília/DF - O auditor fiscal do Trabalho de Alagoas Elton Costa afirmou no dia 25 de agosto que os vazamentos de gás ocorridos em maio na fábrica da petroquímica Braskem em Maceió (AL) poderiam ter sido evitados. A declaração foi feita em audiência pública da subcomissão especial criada para avaliar as condições de saúde do trabalhador, que é vinculada à Comissão de Seguridade Social e Família.

No dia 21 de maio, houve um vazamento de cloro em indústria da Braskem na capital alagoana. Um funcionário e 129 moradores de bairros vizinhos foram intoxicados pelo gás. Dois dias depois, uma nova explosão deixou cinco funcionários feridos.

O diretor industrial de vinílicos da Braskem, Álvaro de Almeida, explicou que as explosões foram causadas pelo acúmulo de uma quantidade imprevisível de uma substância conhecida como clorotricloramina. "Ela é formada em uma determinada etapa do processo, a partir de uma reação de cloro com amônia. Temos o controle desse componente, mas, nesse caso específico, foi uma situação imprevisível, que nunca tinha acontecido na história da companhia ao longo dos 34 anos", disse.

Segundo Elton Costa, porém, o aumento do composto inflamável poderia ter sido antecipado. Ele ressaltou que o equipamento responsável por degradar a clorotricloramina havia sido desativado dois dias antes. "O problema que a empresa alega é que seriam feitas simulações em softwares de última geração e essa concentração não seria esperada. Os fatos desmentiram isso. Então, ou algum parâmetro equivocado foi inserido no sistema ou esse módulo relativo à simulação de teor de tricloramina precisa ser revisto. Não se pode fugir dos fatos", destacou.

Produtividade
O auditor fiscal levantou a suspeita de que a opção por desligar o equipamento tenha sido feita sob a pressão por mais produtividade, em detrimento da segurança e da saúde do trabalhador.

Álvaro de Almeida, por sua vez, sustentou que há equívocos na interpretação do Ministério Público (que solicitou o fechamento da empresa por falta de segurança no trabalho) por falta de conhecimento profundo dos métodos de produção da companhia. Ele defendeu que a Braskem não prioriza a produtividade em detrimento do bem-estar dos funcionários e do meio ambiente.

Medidas
O dirigente da Braskem salientou que a empresa adotou medidas para evitar que os acidentes ocorram novamente. Entre elas, está a paralisação automática da fábrica caso o equipamento responsável por eliminar a tricloramina fique mais de uma hora desativado.

O deputado Dr. Aluizio (PV-RJ), que solicitou o debate, disse que a subcomissão vai continuar acompanhando o caso. Médico, o parlamentar explicou que, ao ser inalado, o cloro pode provocar intoxicações respiratórias e oculares, e os danos podem ser irreversíveis. Segundo o representante da Braskem, todas as pessoas afetadas pelo acidente receberam atendimento hospitalar e já estão bem.

Amianto
Durante a audiência, também foi levantada a preocupação com o uso de amianto nos processos produtivos da Braskem. O perito em acidentes químicos Álvaro Fernandes Sobrinho afirmou que os mecanismos de prevenção de câncer usados pela empresa não são satisfatórios. "Os funcionários usam uma máscara que não é a ideal para esse tipo de trabalho", sustentou.

De acordo com Elton Costa, a companhia respeita os limites legais para o uso da substância. "O cuidado é muito grande. Existem exames e controle médico dos trabalhadores, que precisam ser acompanhados alguns dias depois de ficarem expostos ao agente", afirmou. Para o auditor fiscal, porém, essas medidas não são suficientes para proteger os operários. Ele defendeu que há outras maneiras de se produzir cloro e soda cáustica sem o uso de amianto.

O representante da Braskem, por sua vez, garantiu que em toda a história da fábrica em Maceió nenhum funcionário desenvolveu problemas de saúde em decorrência do manuseio de amianto.

Foto: Reprodução/TV Globo

Comentários
José Paulo Denuncie este comentário
Pessoal infelizmente em quase todos os acidentes ocorrido seja lá qual a gravidade,ramo de atividade sempre se houve seja por parte de qum for a seguinte declaração:" O a cidentes ocorrido na empresa tal poderiam ter sido evitados ".
A parcela de culpa pelas ocorrências é apenas do empregador?Quais as medidas preventiva pertinentes ao MTE mediante aos acidentes que vem ocorrendo?Ausência de uma fiscalização previa e eficaz por parte do rogão competente? também tem sim sua parcela de culpa.
Acresito eu que a ausência de uma campanha de concientização pertinentes a saúde e segurança do trabalho por partes do MTE poderia ter ivitado não só esta ocorrencia mas outras que já houve.
Existem uma vasta lista de leis, normas, decretos, portarias mas sem fiscalização não há cumprimento.(existe empresas que cumpre e fazem cumprir a legislação pertinentes a saúde e segurança de seus colaboradores), não devemos generalizar.
Willian Souza -SP Denuncie este comentário
Prezados,

Esta ai uma história interessante para ser comentada, que deve ser tratada de forma mais responsavel pelos profissionais de Segurança e medicina do trabalho e não jogarmops aresponsabilidade total no MTE. sendo que quando trabalhamos em uma empresa a responsabilidade de julgar risco é nóssa de agirmos independente da maneira que for.(Mas preferimos manter nosso salarios no fim do mes do que fazer aquilo que alguns estudaram para fazer e outros aparentemente, mas paraecem que compraram seus diplomas) então devemos entrar em nóssas competencias e se lembrar que fizemos um juramento de proteger a integridade fisica de colaboradores e não focarmos tentando tapar o sol com a peneira e dizer que isto não acontece em muitos lugares, temos que generalizar sim!!! pois são vidas de mais pessoas que estão em risco dia após vida e mais uma vez o que nós profissionais estamos fazendo?????

Esta na hóra de sermos mais profissionais, e se as empresas não querem responsabilidade com segurança prezados, você é um profissional ou não se não for permaneça se fro um profissional tome uma atitude de um por favor.

Atenciosamente...
CLEBER SANTOS FERREIRA F Denuncie este comentário
1º Por quê desliga o sensor que monitora a clorotricloramina ?
2º A questão do amianto, é a velha luta para rever os ultrapassadíssimos limites de tolerância constantes nos anexos da NR 15 !
christian Denuncie este comentário
mais uma das muitas que poderão acontecer no decorrer dos tempos, um joga joga de um para o outro dizendo de quem é a culpa, ao inves de buscar a prevenção, ja aconteceu, aconteceu ja é passado o importante agora é a união ou seja trabalho unido para precaver outro acidente igual ou em maior proporção.
Em minha opinião, fiscalização, empresa e outros tem que ser mais atuante nas inspeções e fiscalizações de trabalho só assim eu acredito que poderemos diminuir ou eliminar tais acidentes.
sem mais.
aldo pereira de lima Denuncie este comentário
boa noite,

é triste receber uma noticia desta principalmente quem se dedica prevençâo da saude e integridade fisica dos trabalhadores , nesse momento pergunto como esta as familias, como esta os engenheiros de segurança, os tecnicos segurança, os diretores da empresa. porque julgar é facil , penso que nenhum destas pessoas desejou isso, meu ponto de vista para todos é unir esforços e juntos evitar para que novos casos como esses nâo se repita, deste que cada um faça sua parte com dedicaçâo orgulho,comprometimento com as vidas humanas.


Aldo P.Lima
tst gravatai- rgs
José Aparecido Vieira Souza Denuncie este comentário
Boa noite!
Caros colegas, a grande verdade é que precisa acontecer um acidente desta magnitude para que os responsáveis tomem algum tipo de ação? Sabemos que os colegas da Segurança, na maioria dos casos, tem que fechar os olhos e fingir que está tudo bem, não é? São emitidos dezenas de alertas de riscos de acidentes, mas nada acontece, se o cara da Segurança interditar o processo, a máquina ou que seja, é demitido, essa é a grande verdade. Infelizmente temos que nos valer da desgraça dos outros para chamar a atenção do governo e dos empresários sobre ações que devem ser tomdas para evitar o acidente.

José Aparecido
Osasco-SP
Roberto Santos Denuncie este comentário
Eu só sei que nada sei.
Tiago Resende Bessa Denuncie este comentário
Ao invéz de ficarmos achando culpados devemos pensar que Aculpa é de todos, também em grande parte do GOVERNO e seus órgãos copetentes que muitas vezes deixam muito a desejar nas fiscalizações.
Muitas vezes os empregadores mal sabem o que é e o que significa segurança do trabalho, prevenção de acidentes, Higiene ocupacional e por ai vai.... Temos um enorme desafio a ser enfrentado que é a consientização de empresários sobre a SST no Brasil.
Patricia Denuncie este comentário
Nunca um acidente do trabalho acontece do nada, eles não são fatalidades, as empresas devem dar uma maior atenção para a saúde e segurança do trabalhador, implantar os procedimentos de segurança, fazer cumprir esses procedimentos. É tão gratificante visitar empresas que se preocupam com a segurança de seus funcionários, que não visam somente a produtividade e a lucratividade, e sim um ambiente de trabalho sério, responsável, seguro, aconchegante, isso tudo conta para um bom desempenho do trabalhador, ele sente que a empresa se importa com sua saúde e segurança, e retribui da melhor maneira. Isso não é impossível de acontecer nas empresas e ou instituições, porém os empregadores tem que dar o primeiro passo rumo a esse objetivo: Aliar a segurança do trabalhador + produtividade que resultará na satisfação de todos que gostam de trabalhar!
Ricardo santista Denuncie este comentário
Acidentes do trabalho só deixarão de ocorrer quando este, o trabalho, deixar de existir. Assim, temos que trabalhar no sentido de minizar estas ocorrências, mas devemos estar conscientes que jamais poderemos acreditar, em qualquer ramo, que os acidentes do trabalho estão extintos. O mesmo raciocínio se aplica aos acidentes de trânsito, p. ex. Depois que ocorrem, fica fácil traçar comentários tipo " poderia ter sido evitado". É uma afirmação óbvia, pois os acidentes sempre ocorrem em função de uma sucessão de falhas, e não soma nada atitudes como interditar uma empresa como a Braskem. Mera demagogia do MTE, Ministério Público, etc...
Sousa Denuncie este comentário
Depois que acontecem as tragédias, vem todo mundo: Ministério Público, Polícia, Imprensa, etc,etc...
Porque não vieram antes para denunciar o Empregador de sua omissão, e falta de responsabilidade para com a vida das pessoas....

Francisco A. de Sousa
TST
Thiago Galeno Denuncie este comentário
O problema da SST no Brasil é uma questão de cultura, uma cultura pobre, miope que deve ser reenserida de forma RESPONSÁVEL e ÉTICA, o fato é que os empresários poupam o quanto podem, muitas vezes optando por medidas mais baratas que não serão suficiente para mitigar os riscos, mas apenas possuiram um documento (folhas e mais folhas de papel) quantos PPRA`s , PCMSO, PGR e outros programas que deveriam ser realmente desenvolvidos nas empresas estão apenas acumulando poeira dentro de gavetas e armários, a Segurança no Trabalho tem que deixar de ser uma burocrácia a mais e sim, ser atuante no dia a dia dos trabalhadores, mas, isso só será possível quando realmente passarmos a valorizar a vida humana como ela merece!!! "SST direito de todos, dever de cada um".
Islanderson Marcos De Oliveira Neto Denuncie este comentário
As omissões na área de Segurança ainda acontecem, mesmo em grandes empresas, é muito triste que quem paga a conta é o pobre trabalhador e a sociedade. Tantos programas, certificações para que. Alertas a praticidade e menos burocracia.

Islanderson Marcos de O Neto
TST
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Notícias relacionadas
Mais de Geral
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
banner6-promo-protecao-outubro02
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital