Banner 1 Marluvas - Set/Dez
Banner 01 - Ansell
Banner 01 - Marluvas - Dezembro
Banner 1 - UniSafety - 3
Fujiwara Banner 1 Outubro
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P NN Eventos - Banner 5


Você está em: Noticias / Estatísticas
Estatísticas
Acidentes e mortes aumentam, revela AEPS 2013

Beto Soares / Estúdio Boom
Data: 04/11/2014 / Fonte: Redação Revista Proteção

O AEPS 2013 (Anuário Estatístico da Previdência Social), divulgado ontem (3), revela que durante o ano de 2013 foram registrados no INSS 717.911 acidentes do trabalho. Comparado com 2012, o número de acidentes de trabalho teve aumento de 0,55%.

O total de acidentes registrados com CAT aumentou em 2,30% de 2012 para 2013. Do total de acidentes registrados com CAT, os acidentes típicos representaram 77,32%; os de trajeto, 19,96%; e as doenças do trabalho, 2,72%.

Em 2013, os subgrupos da CBO com maior número de acidentes típicos foram os de trabalhadores de funções transversais (14,49%) e trabalhadores dos serviços (15,09%). No caso dos acidentes de trajeto, o maior número ocorreu no subgrupo de trabalhadores dos serviços (19,05%). Nas doenças do trabalho, foram os subgrupos de escriturários (12,71%) e trabalhadores de funções transversais (14,07%).

Na distribuição por setor de atividade econômica, a Agropecuária participou com 3,47% do total de acidentes registrados com CAT; a Indústria, com 45,48%; e o setor de Serviços, com 51,05%, excluídos os dados de atividade ignorada.

Em 2013, o número de acidentes de trabalho liquidados foi de 737.378, o que correspondeu a um aumento de 0,40% em relação a 2012. A assistência médica teve um decréscimo de 0,13% e os óbitos aumentaram 1,05% em relação a 2012.

As incapacidades temporárias aumentaram em 0,87% e as incapacidades permanentes decresceram em 12,96%. As principais consequências dos acidentes de trabalho liquidados foram as incapacidades temporárias com menos de 15 dias (46,04%) e com mais de 15 dias (36,79%).

Comentários
Jamil de Moraes Sexas Denuncie este comentário
Prezados senhores, boa tarde! Eu fico pasmo e indignado, culpado até, pois, o numero de acidentes tipico principalmente, aumenta, ao invés de diminuir. Com vários profissionais envolvidos com o mesmo objetivo. O que acontece que nós profissionais da área não temos toda essa autonomia de parar certa atividade, que expõem os riscos de acidentes iminentes. Sugestão: Nós deveríamos ser agentes do Ministério do Trabalho. Atenciosamente,
MARCIO fELICIO Denuncie este comentário
As matérias da Revista Proteção são muito boas.
Marco A.F.de castro Denuncie este comentário
A falta de fiscalização do MTE também ajuda a aumentar este índice, as empresas não investe em proteções, tanto coletivas com individuais. Segurança do Trabalho ainda é, para muitas empresas um custo alto, e visto por muitos com desnecessários.
Manoel J P Silva Denuncie este comentário
O MTE não tem uma fiscalização rigida, infelizmente só fiscalição quando ocorre denúncias. Cito a cronstrução civil pois qualquer obra que passamos vemos irregularidades principalmente no trabalho em altura. O governo devia investir pesado na contração de técnicos de segurança e criar um órgão tipo o CREA ou se vincular ao mesmo isso facilitaria em muito a fiscalização. Infelizmente as emopresas só investem quando são penalizadas o que é uma pena.
Daniel Larios Denuncie este comentário
Nosso governo não entende de segurança! Necessitamos que volte a existir o Depto. Nacional de Seg. e Saúde do Trabalhador e que seja feita uma política adequada fazendo valer o PNSST que ninguém sabe como anda. O INSS só sabe reclamar e dar mal atendimento a todos e nunca pensou em se aliar com o MTE para fazer uma verdadeira política de segurança preventiva. Tenho certeza que se tivesse número de fiscais suficientes e esses ministérios desejassem, sobraria dinheiro para dar aumento para os aposentados e ainda iria sobrar. Quantos interesses por desses órgão... O governo não consegue nem instalar os SESMET`s que poderia ser um exemplo para a sociedade.
Paulo Sergio dos Santos Denuncie este comentário
Muito bom as matérias publicadas pela revista Proteção, só vem a somar no conhecimento de todos na área da Segurança do Trabalho.
sidnei gomes de oliveira Técnico de segurança do trabalho (64) 9289-1775 Denuncie este comentário
Segue em anexo,
E de suma importância receber novidade, referente a segurança do trabalho..
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Notícias relacionadas
Mais de Estatísticas
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
banner6-promo-protecao-outubro02
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital