P UVEX Carbonvision Honeywell  - Banner 1
P Graduacao USP Banner 1
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Produtos & Serviços
    Sipats
    Últimas Notícias
P Emergencia Crianca Banner 4
P Eventos do setor Emergência Banner 5
P NN Eventos - Banner 5
P SuperGuia Máscara Facial Banner 5
P Fotos Redes Sociais - Banner 5
P Nova Loja Virtual SST Banner 5


Você está em: Noticias / Doenças Ocupacionais
Doenças Ocupacionais
LER/DORT: o que é, como tratar e como prevenir
Data: 27/08/2011 / Fonte: Jornal Cidade

A sigla LER significa lesões por esforços repetitivos, sendo também denominada como distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho - DORT. São doenças caracterizadas pelo desgaste de estruturas do sistema músculo-esquelético que atingem várias categorias profissionais.

Geralmente são causadas por movimentos reincidentes e contínuos com consequente sobrecarga dos nervos, músculos e tendões. O esforço excessivo, má postura, stress, condições desfavoráveis de trabalho também contribuem para o aparecimento da LER.

Vale mencionar que as doenças relacionadas ao trabalho têm implicações legais que atingem a vida do cidadão. O seu reconhecimento é regido por normas e legislações específicas a fim de garantir a saúde e os direitos dos trabalhadores.

Assim, os chamados "direitos da personalidade" protegem a integridade física da pessoa (artigos 5º, da CF/88 e 11 a 21 do CC/2002), assim como asseguram medidas que reduzam os riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança (artigos 7º, XXII, da CF/88, 157 da CLT e NR-17 do MTE).

Neste sentido, se o trabalhador perceber sinais de LER deve procurar um médico e paralisar imediatamente as suas atividades. Outro passo importante é dar atenção à ergonomia, melhorando as suas condições de trabalho.

Todavia, reconhecida por perícia a doença ocupacional, bem como comprovado o nexo de causalidade (ligação) e a conduta culposa da empresa (caso não adote medidas eficazes para preservar a saúde do empregado), caberá ao trabalhador ingressar com uma Reclamação Trabalhista pleiteando uma indenização por danos materiais e, dependendo da situação, morais.

Nesta indenização será analisado se a doença realmente foi oriunda das atividades realizadas na empresa, se ocorreu redução ou incapacidade para o trabalho, se a moléstia tem cura e se houve alguma espécie de constrangimento ou humilhação passível de danos morais.

Inclusive, caso fique demonstrado que o trabalhador não tenha mais condições de trabalho, poderá ser arbitrada pelo Poder Judiciário uma pensão mensal, suficiente para manter a subsistência do empregado.

Em razão disso, as empresas devem manter um programa visando reduzir os riscos inerentes às atividades laborais e investir em ações preventivas, tais como: ergonomia, aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs), contratação de profissionais de segurança do trabalho e adoção de medidas de cautela pertinentes a sua área de atuação.

Comentários
Juarez Denuncie este comentário
Informativo atualizado sobre LER
paulo roberto miguez Denuncie este comentário
Ótima matéria !!
Jeferson Ribeiro de Sena Denuncie este comentário
Muito bom, vai diminuir os preconceitos com relação aos trabalhadores que possuem LER/DORT, acho que o poder público deve mesmo punir com rigor essas situações
Silvana Alves Denuncie este comentário
Tenho uma dúvida: Já li artigos onde a LER está relacionada aos movimentos repetitivos, posso realizar tarefas rotineiras no lar e contrair uma LER, devido às repetições. Já DORT está relacionada diretamente ao trabalho. As pessoas podem ter contraído uma LER antes mesmo de estar ligada a uma atividade que ofereça esse esforço. É verdade?
Fernando Santos Denuncie este comentário
Sim é verdade, Silvana.
Na empresa que trabalho como médico passei a realizar exame de eletroneuromiografia em funcionárias acima de 25 anos. Terminei verificando que em torno de 13% delas apresentavam neuropatia do nervo mediano em punhos, patologia qualificada como DORT. Logicamente que estas candidatas não eram contratadas. Verifiquem uma diminuição sensível nos casos de DORT nos 5 anos de vigência do exame pré admissional.
Por pressão do sindicato dos trabalhadores a empresa recebeu recomendação do Ministério Público do Trabalho para não realizar o exame, sem indicação precisa. As consequência só o tempo vai mostrar.
domingos jesus de souza Denuncie este comentário
trabalho em uma empresa e não consigo, colocar em pratica tudo o que é de bem pro trabalhador porque sou descriminado pelo o patrão, aqui á muita doença relacionada o LER/ DORT, mais as pessoas só vai pro lado do patrão, gostaria de uma opinião de alquem como fazer que os colegas de serviços me ajude a mudar a rotina da empresa.
Diassis costa Denuncie este comentário
materia importantissíma parabens
ALESSANDRA ALVES Denuncie este comentário
O QUE O TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO PODE ESTAR IMPLEMENTANDO NAS EMPRESAS EM PROL DE MELHORIAS PARA OS FUNCIONARIOS. EM FOCO ERGONOMIA E STRESS
DESDE JÁ , OBRIGADA.
Daniel Ferreira Denuncie este comentário
poucas empresa têm suas atividades voltadas para a uma forma ergonomicamente correta. A falta de fiscalização do MTE contribui para o descaso e a falta de respeito dos empregadores, sem conta com os muitos TST`S que não buscam melhorias no ambiente de trabalho com medo de perde o emprego, isso é uma vergonha.
Grasielly Barradas Denuncie este comentário
Enquanto os Empregadores não se conscientizarem que a produção da Empresa depende da saúde do Colaborador, o descaso continuará! É mais fácil conter, eliminar os riscos que pagar indenizações! Enquanto os Técnicos em Segurança são autuados, correndo até o risco de perderem seus registros....os Empregadores só se preocupam em ver o financeiro crescer a cada dia! Temos muito trabalho pela frente! Vamos lutar pela saúde dos nossos Colaboradores e não se esqueçam: Que Acidentes não são Acidentais!
Tulio Carece Denuncie este comentário
http://www.epi-tuiuti.com.br/
edvan antonio Denuncie este comentário
LER/DORT tem muito a ver com as condições sobre as quais o trabalhador exerce suas atividades. Qualquer intervenção no ambiente de trabalho precisa levar em conta também os processos de trabalho, a organização do trabalho e ver o trabalhador além de suas dimensão física, ou seja, incluir também um análise psiquicas e sociais de relações do trabalho.
Evaristo Amélio Denuncie este comentário
estou fazendo um trabalho sobre DORT nos tecnicos de enfermagem do hospital onde trabalho constatei que nada sabem sobre as maneiras de tratamento e ignoram os conselhos de fisioterapeutas, no minha provincia é necessario fazer-se uma grande divulgaçao da LER/DORT, para bens pra vocês estao muito avançados.
DIVINO ANTONIO PEDROSA Denuncie este comentário
no inicio sentia fortes dores,fui num ortopedista cirugião de convenio,me mandoupropoder publico c outro diagnostico,procurei outro medico de convenio ,fiz eletroneromiografia da agulha particular,deu sndrome turno do carpo ,nada fizeram,pra bloquear dor terrivel,fiz outras eletroneu c convenio com mononeuropatia e nada fizeram e as dores contiam até piores sem melhora e sem cura nem idenizaçao consequi, e foi no rabalho ler,,,,,,, diagnostico de mononeuropatia multipla ..
Paola Denuncie este comentário
Olá,nao entendi muito bem um item..se o funcionário questionar por dores e confirmar ter estar com dort , a empresa deve fazer oq?quais são os direitos do trabalhador?indenização ou mudar o posto de trabalho apenas?
Fausta Rodrigues Campos Denuncie este comentário
Fiz uma neuromiografia em Setembro de 2013 e o resultado foi Síndrome do Túnel do Carpo de grau leve no braço esquerdo e leve a moderado no braço direito, o braço direito só vive inchado e dolorido e com parestesia, minha reumatologista me encaminhou para o ortopedista recomendando cirurgia após tentar fisioterapia e medicação, sem sucesso. O ortopedista recomendou fisioterapia novamente, acumpultura e repouso de 10 dias fora do trabalho e se não melhorar após o retorno do atestado, ele me encaminhará para o INSS porque a empresa em que trabalho , alega que não tem um setor para me remanejar uma vez que não estou conseguindo desempenhar as mesmas funções de antes, isto vem me causando muita tristeza e choro sem limites. Fui até encaminhada para um psicicólogo, ando muito estressada, e agora o que devo fazer?
melissa rafaela xavier Denuncie este comentário
Gostaria de saber qual o CID da doenca LER/DORT
rafael olicheski Denuncie este comentário
mandem sempre noticias
elisia maria ferreira ribeiro Denuncie este comentário
gostaria de saber se é por causa de trabalhar com microscópio que m com tendinite,já trabalho a 37 anos lendo laminas de doenças tropicais com 8 horas de trabalho tenho direito de pedir alguma idennização,continuo trabalhando mais já não posso ler muito laminas fico a noite com dor no braço formigamento no braço sem força já não posso lavar um louça principalmente panelas até a posição de dormir me encomoda. quero uma opinião o que faço,já tenho tempo par me aponsentar mais vou peder muito dinheiro,se o meu bruto fosse para o meu sálario seria otimo assim me aponsentaria,
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Notícias relacionadas
Mais de Doenças Ocupacionais
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
P Agenda 2015 Banner 6
P Cadastre-se Banner 6
P Assinatura Emergencia Banner 6
P Curso de Higiene 50h Banner 6
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação Download
Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital