Bracol - banner 01 - AGO
banner 01 - Anuario 2017
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P IBTEC banner 4
P NN Eventos - Banner 5
P Revista Emergência Digital Banner 5


Você está em: Noticias / Doenças Ocupacionais
Doenças Ocupacionais
Doenças ocupacionais como preveni-las

Beto Soares/Estúdio Boom
Data: 04/08/2017 / Fonte: Ministério do Trabalho

Brasília/DF - Movimentos repetitivos, com uso de força, levantamento e transporte de pesos foram as principais causas que desencadearam a hérnia de disco que afastou o promotor de vendas Marcus Vinicius Corrêa, 37 anos, do trabalho. Ele atua há 12 anos com recepção, abastecimento e organização de mercadorias em supermercados. "Tudo começou com uma forte dor nas costas. Acredito que seja por ter levantado cargas pesadas de forma errada e pelo excesso de caixas que colocava no carrinho para adiantar o serviço", diz Marcus Vinicius, que está afastado do trabalho, pelo INSS, há quatro meses.

Casos como de Marcos Vinicius são frequentes. As dorsalgia, por exemplo, popularmente conhecida como dor nas costas, é a doença que mais afasta trabalhadores no Brasil. Em 2016, 116.371 pessoas tiveram que se ausentar do trabalho por, no mínimo, 15 dias por essa razão.

As doenças ocupacionais são aquelas produzidas, adquiridas ou desencadeadas pelo exercício da atividade ou em função de condições especiais de trabalho. Atualmente, um profissional que desenvolve uma doença ocupacional possui, legalmente, os mesmos direitos que o envolvido em acidente de trabalho.Trabalhadores e empregadores precisam ficar alertas em relação às principais causas de doenças ocupacionais (veja abaixo) e a como evitá-las, buscando o constante aprimoramento das condições de saúde e segurança do ambiente de trabalho. Além disso, é preciso estar atento aos primeiros sinais de desconforto físico ou mental, procurando auxílio médico o quanto antes.

O auditor-fiscal e médico do Trabalho Jeferson Seidler, que atua no Departamento de Saúde e Segurança no Trabalho da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho, explica que grande parte das doenças ocupacionais registradas não são reconhecidas pelas empresas, mas sim pela pericia médica do INSS, ou seja, são registros sem emissão da CAT, documento utilizado para reconhecer tanto um acidente de trabalho ou de trajeto quanto uma doença ocupacional. "Ainda existe uma dificuldade em fazer o nexo da doença com o trabalho, o que resulta em uma subnotificação dos casos. No acidente típico, a lesão é evidente e compatível com o relato da vítima, e dificilmente há dúvida quanto à relação entre a ocorrência e o trabalho. Nas doenças ocupacionais, não". Segundo ele, o diagnóstico é mais subjetivo e, além de realizar a análise clínica, é preciso observar se o trabalho teve ou não influência no desencadeamento ou agravamento dos sintomas.

Doenças ocupacionais
Ler/Dort - Lesões por esforços repetitivo/Distúrbios Osteo musculares Relacionados ao Trabalho (tendinites, tenossinovites e lesões de ombro).

Principais causas:
- movimentos repetitivos
- posturas inadequadas
- pressão psicológica

Prevenção:
- adequação do mobiliário, redução da necessidade do número de repetições; pausas e exercícios preparatórios e compensatórios.
- definição de metas adequadas; boas relações interpessoais, clareza sobre o que é esperado de cada profissional.
- programas de incentivo à prática regular de atividades físicas e ingestão frequente de líquidos.

Dorsalgias (hérnias de disco, "problemas de coluna")

Principais causas:
- movimentos repetitivos e força com uso do tronco
- levantamento e transportes de pesos
- posturas inadequadas
- Obesidade e sedentarismo (fatores não necessariamente ocupacionais, porém muito significativos)

Prevenção:
- adequação do mobiliário e equipamentos, fracionamento das cargas e do número de repetições (redução da velocidade de execução das tarefas).
- pausas e exercícios preparatórios e compensatórios.
- programas de incentivo à educação alimentar e à prática regular de atividades físicas.

Transtornos mentais (depressão/ansiedade/stress pós-traumático)

Principais causas:
- alta demanda, imprecisão quanto às expectativas
- metas inalcançáveis
- trabalho extremamente monótono
- percepção de trabalho "sem importância"
- violência no trabalho
- situações momentâneas e súbitas de alto nível de estresse
- testemunha constante de sofrimento humano de terceiros (profissionais de saúde, assistentes sociais)

Prevenção:
- definição de metas adequadas; boas relações interpessoais; melhora da comunicação, reconhecimento do valor do trabalho realizado.
- programas de prevenção da violência nas atividades com risco elevado de assaltos/envolvimento ou repressão de atos violentos.
- programa de apoio e acompanhamento de profissionais vítimas de violência no trabalho ou submetidos a situações de estresse agudo de alta intensidade.
- e de profissionais que lidam constantemente com o sofrimento humano de terceiros.

Transtornos das articulações

Principais causas:
- posturas inadequadas
- movimentos repetitivos associados a cargas (membros inferiores)
- obesidade e sedentarismo (fatores não necessariamente ocupacionais, porém muito significativos)

Prevenção:
- adequação do mobiliário, redução da necessidade de uso da força e do número de repetições; pausas e exercícios preparatórios e compensatórios.
- definição de metas adequadas; boas relações interpessoais, clareza sobre o que é esperado de cada um.
- programas de incentivo à prática regular de atividades físicas e ingestão frequente de líquidos.

Varizes nos membros inferiores

Principais causas:
- trabalho em pé ou sentado com pouca movimentação
- obesidade e sedentarismo (fatores não necessariamente ocupacionais, porém muito significativos)

Prevenção:
- análise ergonômica das tarefas para adequação do mobiliário e equipamentos, permitindo a alternância de posturas e mobilidade no posto de trabalho; exercícios preparatórios e compensatórios.
- programas de incentivo à educação alimentar e à prática regular de atividades físicas de intensidade moderada.

Transtornos auditivos (principalmente perda auditiva)

Principais causas:
- exposição a ruídos
- trabalho com produtos químicos, principalmente solventes (tinner, tolueno, xileno e similares)

Prevenção:

- proteção coletiva com isolamento das fontes de ruído (medida mais importante).
- uso de protetor auditivo (medida complementar - não deve ser a única proteção).
- ventilação exaustora e/ou isolamento dos processos com uso de solventes.
- uso de máscaras de proteção: protetores respiratórios específicas para produtos químicos (medida complementar: não deve ser a única proteção).
Comentários
Deixe seu comentário sobre a notícia:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
* E-mail, Profissão, Estado e cidade não serão publicados.
 
 
 
   
 
 
 
Código de verificação:

Repita o código ao lado:
 
 
Enviar


Notícias relacionadas
Mais de Doenças Ocupacionais
 
1     2     3     4     5     6     7     8     9     10
Edição do Mês
 
Banner 06 - Abendi
AmbLegis banner6 - 08/17
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Assine a Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital