Promo Dezembro 2019 - Proteção
title='Clique aqui para ver mais sobre Fujiwara Banner 1 Dezembro'
Banner 1 Marluvas - Set/Dez
 
 
    Acidentes do Trabalho
    Doenças Ocupacionais
    Empresas & Negócios
    Estatísticas
    Eventos
    Geral
    Legal
    Leia na Edição do Mês
    Práticas de Prevenção
    Produtos & Serviços
    Últimas Notícias
P NN Eventos - Banner 5


Você está em: Matérias / Anuário Brasileiro de Proteção 2012 / Sul
Anuário Brasileiro de Proteção 2012
Sul

Sul / Força industrial

Entre os agravos de trabalho registrados em 2010, 22,3% ocorrem no Sul do país

Mesmo com a menor extensão ter­ri­to­rial do país, 6%, a Região Sul, composta pe­los estados de Santa Cata­ri­na, Rio Gran­de do Sul e Paraná, ocupa a se­gunda posição na produção industrial na­cional, sendo superada apenas pela Re­gião Sudeste. Estima-se que o Sul ­detenha 21% do setor industrial presente no país, per­centual semelhante ao de aciden­tes de trabalho gerados na Região no último ano. Em 2010, o Sul contabilizou 156.853 acidentes de trabalho, número que cor­res­ponde a 22,3% dos agravos re­gistrados no Brasil.

O Rio Grande do Sul foi o estado que obteve o maior número de registros de a­cidentes de trabalho. Ao todo, foram 58.237 notificações de agravos em 2010. No entanto, o número de a­cidentes neste estado diminuiu 6% em com­paração a 2009, quando ­foram con­tabilizados 61.945 registros. Já o Pa­raná, que registrou 51.509 acidentes de trabalho no último ano, apresentou uma redução de 5,1% em suas notificações. Santa Cata­rina, por sua vez, que ostenta o posto de estado sulino que menos computou dados de agravos em 2010, conquistou o maior índice de queda neste período: 6,2% (de 50.209 para 47.107).

Por outro lado, observando-se apenas os dados do último ano, os catarinenses apresentaram o índice de acidentalidade mais alto da Região Sul. Para cada grupo de 100 mil trabalhadores, ocorreram 2.392 acidentes no estado em 2010, enquanto que o Rio Grande do Sul teve, em ­média, 2.077 e o Paraná 1.850. O fa­tor deter­mi­nante, neste caso, foi o número de trabalhadores em atividade em cada estado. Os gaúchos são maioria no mercado de trabalho, tendo 2.804.162 profissionais ce­letistas contra 1.969.654 lotados em Santa Catarina.

Ao se estabelecer uma média de acidentes e doenças do trabalho ocorridos nos últimos 21 anos (de 1990 a 2010) na Região, Santa Catarina obtêm o mesmo posicionamento. São 2.653 acidentes para cada 100 mil trabalhadores, número 22,1% maior do que o percentual gaúcho, que é de 2.172 agravos para cada 100 mil trabalhadores.

Mortalidade

No que se refere à taxa de mortalidade no trabalho nos últimos 21 anos, o Paraná apresenta o percentual mais preo­cupante do Sul do país. A cada 10 mil a­ci­dentes ocorridos, 83 trabalhadores perderam a vida. A média paranaense é 50,9% maior do que a do Rio Grande do Sul, que é de 55 óbitos a cada 10 mil a­cidentes. Em compensação, mesmo tendo registrado a maior taxa de mortalidade laboral do Sul do país em 2010, o Pa­ra­ná foi o único estado sulista que ­redu­ziu o número de acidentes fatais no último ano. De 220 óbitos em 2009, passou para 193, percentual 12,3% menor. Já Santa Cata­rina contabilizou o maior aumento de mor­tes no trabalho em 2010. Saltou de 114 óbitos laborais em 2009, para 152 no último ano, representando um acréscimo de 33,3% nas ocorrências fatais.

Além disto, o estado registrou, em 2010, o maior número de trabalhadores incapacitados permanentemente, vítimas de acidentes laborais, da Região Sul. Ao todo, ocorreram 1.449 incapacitações per­manentes entre os colaboradores catari­nenses. O número, que já é preo­cupante, chama a atenção quando comparado aos 1.282 casos computados em 2009, mostrando que houve um aumento de 13% nos acidentes com este tipo de conse­quência em Santa Catarina no último ano.

Os acidentes de trajeto também tiveram maior crescimento no estado catari­nense, se comparados ao estado do Rio Grande do Sul e do Paraná. Houve um acréscimo de 7,2% no registro de ocorrências de trajeto em Santa Catarina, em relação a 2009 (de 5.286 para 5.666), enquanto que os demais tiveram um aumento de 1,7% (de 6.059 para 6.160) e 0,1% (de 6.274 para 6.281), respectivamente.


Confira abaixo as tabelas em PDF

Tabela 1 - Média de Acidentes de Trabalho ocorridos nos últimos 21 anos

 

Tabela 2 - Paraná - de 2008 a 2010, a redução de acidentes foi de 10,5%

 

Tabela 3 - Rio Grande do Sul - 4.923 mortos nos últimos 21 anos

 

Tabela 4 - Santa Catarina - 25,9% menos doenças relacionadas ao trabalho de 2009 para 2010

 
Mais de Anuário Brasileiro de Proteção 2012
Edição do Mês
 
 

 
 
© Copyright 2009 - Revista Proteção. Todos direitos reservados.
Rua Domingos de Almeida, 218 - 93.510-100 - Novo Hamburgo - RS - Brasil. Central de Atendimento: 51 2131.0400
Revista Proteção Outras Publicações Nossos Eventos Eventos SST SuperGuiaNet Loja Virtual Legislação
Download Entidades Galerias Fale Conosco
Loft Digital